sexta-feira, 5 de julho de 2013

Canal do Panamá

O canal do Panamá encontra-se localizado no istmo do Panamá, que é um país com território situado ao sul da América Central, esse canal tem como objetivo unir o Oceano Atlântico ao Oceano Pacífico, tem uma extensão de 82 km. O canal tem uma grande importância no fluxo marítimo internacional, que hoje corresponde a 4% do comércio mundial, por ano passam pelo canal cerca de 13 mil navios. As principais trajetórias saem do litoral leste norte-americano com destino, principalmente, à costa oeste da América do Sul, há também fluxo de origem europeia para a costa oeste dos EUA e do Canadá. 


Leia mais

POVOS VIZINHOS DE ISRAEL E DE JUDÁ


ARAMEUS
O termo aram aparece na literatura do Médio Oriente desde o século XXIII a. C. É apenas no século XI a. C. que os Anais de Tiglat-Falasar I se referem a um Estado arameu situado na bacia do Eufrates. Na realidade, coexistem vários Estados aramaicos: entre estes, Bet-Reob 2 Sm 10, 6.8) situado no lugar da atual planície da Beqá (no Líbano) e Aram de Damasco (a nordeste do planalto de Golan) são os vizinhos mais próximos do reino de Israel. Segundo os Anais de Salmanasar III, Aram de Damasco alia-se a Israel contra a Assíria, aquando da batalha de Carcar, em 853. Os dados destes Anais estão em contradição com os de 1 Rs 20; 2 Rs 13,3-7 refere, por seu lado, a oposição entre Israel e Damasco, na segunda metade do século IX a. C., após a ruptura da aliança firmada entre Damasco e os descendentes de Omeri. O território de Israel encontra-se então amputado por causa da sua derrota. No final do século VIII a. C., os vários Estados arameus independentes desaparecem sob a pressão assíria.

FENÍCIOS
Não sendo um Estado constituído, as cidades fenícias formam cidades-Estado (Biblos, Sídon, Tiro) independentes, desde a Idade do Bronze, e cuja influência cultural se expande por toda a região, apesar da ausência de uma preponderância política. O casamento fenício de Acab com Jezabel, filha do rei de Sídon, segundo 1 Rs 16,31 (mais provavelmente rei de Tiro, segundo as fontes fenícias), é, para o autor do livro dos Reis, o sinal por excelência da influência religiosa e cultural fenícia sobre o reino de Israel. A expansão fenícia é mais marítima do que continental, com uma influência sobre Chipre, Malta, as ilhas do mar Egeu, a fundação de Cartago, etc.

FILISTEUS
Os filisteus pertencem aos "povos do mar" que se instalam na região meridional da planície costeira, no século XII a. C. A Filisteia é constituída por uma coligação de cinco cidades (pentápole): Gat, Ascalon, Asdod, Gaza, Ecron, sobre a qual os textos bíblicos parecem indicar que ela conseguiu controlar um território que se estende até às montanhas da Cisjordânia central (1 Sm 4). A Filisteia fica na dependência da Assíria no início do século VIII a. C., não voltando a gozar de autonomia política desde essa altura.

AMONITAS
Os Anais assírios referem-se explicitamente a uma realidade política amonita, na coligação que se opõe a Salmanasar III, na batalha de Carcar em 853. O reino de Amon fica situado Transjordânia, entre o Jordão e o deserto. Nm 21,27-30 alude à cidade amonita de Hesbon situada a sudoeste de Rabat-Amon (a actual Aman). Provavelmente, sob a de- pendência de Israel até aos finais do século VIII a. c., o reino de Amon passa a estar na dependência da Assíria. Em 582/581 os Babilônios alcançam uma vitória sobre os amonitas, segundo as Antiguidades Judaicas de Flávio Josefo (10, 181s), vitória à qual Ez 25,7 faz talvez alusão.

MOABITAS
Na época do Ferro I, encontram-se em Moab implantações de aldeias bastante análogas, na sua estrutura, às da montanha de Israel e de Judá. Deve ter sido no século XI a. C. que o reino de Moab consegue libertar-se da tutela de Israel, como testemunha a estela do rei Mecha: "Omri era rei de Israel e oprimiu Moab durante inúmeros dias... e o seu filho sucedeu-lhe e disse: 'Oprimirei Moab'. Nos meus dias ele tinha assim falado, mas venci-o a ele e à sua casa." A narrativa de 2 Rs 3,4-27 evoca a rebelião de Moab contra Israel. No final do século VIII a. C., Moab torna-se vassalo da Assíria. Finalmente, no século VI a. C., Moab torna-se uma província do império neo-babilônico.

EDOMITAS/IDUMEUS
Não é antes do final do século VIII que surge um reino de Edom, cuja capital é Bosra (Jr 49,13.22). O reino vassalo da Assíria aproveita a queda do reino de Judá, no final do século VI a. C., para ocupar a parte meridional da Judeia (Ez 35,10-12). O reino é enfraquecido no século V a. C., e os nabateus instalam-se nele a partir do século III a. C.

Popular Posts